2011 - Celso Furtado e a retomada da indústria naval

Em novembro de 2011, a Transpetro, subsidiária da Petrobras para logística, recebeu o navio de produtos Celso Furtado, primeira embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) a entrar em operação.

Construído pelo Estaleiro Mauá, de Niterói (RJ), o Celso Furtado é usado para o transporte de derivados de petróleo entre os estados brasileiros. Com 183 metros de comprimento e capacidade para transportar 56 milhões de litros, a embarcação também entrou para a história como a primeira entregue por um estaleiro nacional para o Sistema Petrobras em 14 anos. O último havia sido o navio Livramento, em 1997.

O Promef revitalizou a indústria naval brasileira, com investimentos de R$ 10, 8 bilhões na encomenda de 49 navios a estaleiros nacionais. Junto com o Promef Hidrovia - vertente fluvial do programa que investe R$ 432 milhões na construção de 20 comboios para o transporte de etanol na Hidrovia Tietê-Paraná - os investimentos totais da Transpetro na modernização e expansão da frota somam R$ 11,2 bilhões.

Atualmente: o Celso Furtado é uma das cinco novas e modernas embarcações do Promef em operação, ao lado dos navios de produto Sérgio Buarque de Holanda e Rômulo Almeida, também construídos pelo Estaleiro Mauá, e dos petroleiros suezmax João Cândido e Zumbi dos Palmares, entregues pelo Estaleiro Atlântico Sul (EAS), de Ipojuca (PE).

O Promef garantiu escala para investimentos em modernização do parque naval instalado e implantação de três novos estaleiros no País – o Atlântico Sul e o Vard Promar, em Pernambuco, e o Estaleiro Rio Tietê, em São Paulo, responsável pela construção dos comboios hidroviários. Graças ao Promef, o Brasil tem atualmente a terceira maior carteira mundial de petroleiros e ocupa a quarta posição no ranking de encomendas de navios em geral.