1998 – A empresa que une o Sistema Petrobras

Criada em 12 de junho de 1998 de acordo com a legislação que reestruturou o setor de petróleo no Brasil, a Petrobras Transporte S.A. - Transpetro - simboliza as artérias do Sistema Petrobras.

Subsidiária da Petrobras, a Transpetro é a maior empresa de transporte e logística do Brasil. Presente na maioria dos estados do País, com mais de 14 mil km de oleodutos e gasodutos, além de 48 terminais - aquaviários e terrestres - e 60 navios, atua como elemento de integração nacional ao armazenar petróleo, derivados e gás e transportá-los aos diferentes pontos do Brasil, em operações sintonizadas com a estratégia de negócios da Petrobras.

A atividade da Transpetro une as áreas de produção, refino e distribuição do Sistema Petrobras, e se estende à importação e à exportação de petróleo e derivados, gás e etanol. Além da Petrobras, seu principal cliente, a Transpetro presta serviço a diversas distribuidoras e à indústria petroquímica.

Com as perspectivas de aumento de produção de petróleo do pré-sal, a Transpetro lançou o Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), que investe R$ 10,8 bilhões na encomenda de 49 navios a estaleiros nacionais. Considerado um dos marcos da jornada de vitórias e desafios superados pela Transpetro, o programa fez renascer a indústria naval brasileira, com a construção de novos estaleiros e a modernização de outros existentes. Em um período de 18 meses (entre novembro de 2011 e maio de 2013), cinco novas e modernas embarcações entraram em operação: os navios de produto Celso Furtado, Sérgio Buarque de Holanda e Rômulo Almeida, construídos pelo Estaleiro Mauá (Niterói/RJ) e os suezmax João Cândido e Zumbi dos Palmares, entregues pelo Estaleiro Atlântico Sul (Ipojuca/PE).

Atualmente: o País ocupa a terceira posição no ranking mundial de encomendas de petroleiros. A Transpetro também estimula a logística fluvial no Brasil com o Promef Hidrovia, que investe R$ 432 milhões na encomenda de 20 empurradores e 80 barcaças, que formarão 20 comboios hidroviários. As embarcações serão responsáveis pelo transporte de 4 bilhões de litros etanol pela Hidrovia Tietê-Paraná por ano, substituindo 80 mil viagens de caminhão. Com o impulso dado pelo Promef, a indústria naval, que chegou a ter menos de dois mil trabalhadores na virada do século, emprega hoje cerca de 70 mil pessoas, segundo o Sinaval.

Galeria de fotos relacionadas à este momento