1986 – Petróleo no coração da Amazônia

Se no mar a sucessão de descobertas de novas reservas na Bacia de Campos desde a década de 70 proporciona um novo cenário para o país na produção de petróleo e gás, em terra, as boas notícias chegavam da Bacia do Rio Solimões, mais precisamente da província de Urucu, no município de Coari. Em 1988, constatou-se que havia na Amazônia petróleo com viablidade comercial, de excelente qualidade e associado ao gás. Um marco histórico das atividades da Petrobras na região.

E é no coração da Amazônia, a 650 km ou a 1h30 de avião de Manaus, onde se extrai o petróleo mais leve e valioso do Brasil. É também onde está depositada a maior reserva terrestre de gás natural do país. Os desafios para explorar essa riqueza em uma área de difícil acesso, sem perder a harmonia com o meio ambiente, foram gigantescos e têm sido superados há mais de 25 anos.

Para montar a primeira sonda, foi necessário transportar os equipamentos pelo Rio Solimões em viagens médias de dez dias a partir de Manaus. Do pequeno porto construído em Urucu até o local em que foi perfurado o primeiro poço, foram cerca de 300 viagens de helicóptero com a carga.

Atualmente: a produção do campo de Rio Urucu, no Alto Amazônia, é responsável por 18% da produção de gás natural do País, com 11 milhões de metros cúbicos por dia. O estado é o terceiro maior produtor brasileiro de barris de óleo equivalente (petróleo e gás), são 53 mil barris/dia. A produção de GLP (gás de cozinha) é de 115 mil botijões/dia e abastece toda a região Norte e parte do Nordeste. O transporte é realizado por 740 quilômetros de dutos, sendo 600 terrestres e 140 submersos. A companhia conta com 5 mil funcionários nas instalações.

Há ainda perspectivas de crescimento com a descoberta de petróleo e gás a 25 quilômetros da província de Urucu. Há possibilidade da criação de um novo polo produtor, informalmente batizado de Igarapé-Chibata. Os testes indicam que é possível produzir cerca de 4 mil barris de petróleo de excelente qualidade todos os dias.

A principal riqueza da Amazônia, no entanto, está na biodiversidade e na influência que exerce no clima mundial. Atuar com responsabilidade ambiental nesse biossantuário tem guiado a Petrobras em suas atividades. O reconhecimento veio com a certificação ISO 14001 de proteção ambiental. A Petrobras foi a primeira petroleira a receber este selo.

Galeria de fotos relacionadas à este momento