1979 - Começa a comercialização de álcool hidratado como combustível para automóveis.

Em 1979, começa a comercialização de álcool hidratado como combustível para automóveis. A consolidação do álcool combustível no Brasil está diretamente relacionada à atuação Petrobras. A companhia garantiu a estrutura logística de abastecimento e o Cenpes desenvolveu pesquisas para a adaptação dos motores.

O governo federal repassou a tecnologia já desenvolvida por algumas estatais e fechou acordo com as indústrias para iniciar a fabricação de carros movidos a álcool. Esses veículos passam a ser o símbolo maior do sucesso do programa. A Petrobras fica responsável pelo transporte, armazenamento, distribuição e mistura do álcool à gasolina. Um acordo entre usineiros e governo define que a estatal deve comprar toda a produção.

Em 1979, há uma nova fase do Pró-Álcool em virtude do segundo choque do petróleo. Os conflitos no Oriente Médio provocam uma nova crise e o preço do barril chega ao patamar de US$ 60. A tecnologia desenvolvida pela Petrobras ajuda ao País a ter uma alternativa diante a crise mundial do petróleo.

Atualmente: o Brasil é considerado a vanguarda do mundo quando o assunto é etanol. A Petrobras Biocombustível é uma das maiores produtoras de etanol e biodiesel do País. No setor de etanol, tem participação em 10 usinas, com capacidade de produzir 1,3 bilhão de litros de etanol por ano. No biodiesel, opera três usinas próprias e duas em parceria, que juntas apresentam capacidade de 821 milhões de litros/ano. A Companhia também desenvolve o projeto de engenharia para a implantação, em 2015, de sua primeira usina de produção comercial de etanol de segunda geração. Também implementa projeto de green diesel no Estado do Pará que utilizará óleo de palma como matéria-prima.

Galeria de fotos relacionadas à este momento