1972 - Tecnologia própria para processar o xisto brasileiro

O Brasil é dono de uma das maiores reservas do mundo de xisto, ou folhelho pirobetuminoso, uma rocha sedimentar que, somente por aquecimento se obtém dela óleo e gás. Batizada como Formação Irati, a acumulação do mineral estende-se pelos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Goiás. Desta formação podem ser extraídos milhões de barris de óleo, milhões de toneladas de gás liquefeito (GLP) e de toneladas de enxofre, assim como bilhões de metros cúbicos de gás combustível de xisto.

As pesquisas sobre a gigantesca reserva teve início em 1954, no município de Tremembé, Vale do Paraíba (SP). Três anos depois, em 1957, foram realizados os primeiros testes com o xisto da Formação Irati, extraído da jazida de São Mateus do Sul, localizado a 140 quilômetros de Curitiba.

Em 1959, a diretoria da Petrobras aprovou a construção de uma usina no município paranaense, hoje denominada Unidade de Operações da Industrialização do Xisto (SIX). Em 1972, entrou em operação na SIX a Unidade Protótipo do Irati (UPI) e, em dezembro 1991, com a entrada em operação do Módulo Industrial, foi concluída uma importante etapa de consolidação da tecnologia Petrobras de extração e processamento do xisto, o Petrosix.

O processo patenteado pela Petrobras consiste em extrair a rocha da mina, encaminhar para uma unidade de processamento e aquecê-la. Os produtos (óleo de xisto e gás de xisto) são resfriados e coletados. A SIX processa toneladas de xisto todos os dias, gerando óleo e gás combustível, GLP, nafta e enxofre, além de insumos para pavimentação que são utilizados pelos mais diversos segmentos industriais, tais como cerâmica, refinaria de petróleo, cimenteira, usinas de açúcar e agricultura.

A Petrobras mantém na SIX um programa de recuperação ambiental com o objetivo de reabilitar as áreas mineradas. O trabalho é composto pela recomposição das matas com espécies nativas e o retorno da fauna aos terrenos reabilitados.

Com 35 anos de execução contínua, completos em 2012, a recuperação das áreas mineradas de xisto é um trabalho amplamente reconhecido pela sua importância e contribuição para o meio ambiente.

A SIX funciona também como um centro avançado de pesquisa na área de refino, onde são desenvolvidos vários projetos em conjunto com o Centro de Pesquisa da Petrobras (Cenpes) e universidades. O parque tecnológico da SIX é o maior da América Latina e um dos maiores do mundo em plantas-piloto de grande porte, criadas para atender as necessidades dos variados processos de refino. Atualmente atende ainda a outras áreas da Petrobras, como a de Gás e Energia, petroquímica e biocombustíveis. Uma das plantas piloto, a Petrosix, tem como objetivo, juntamente com outros projetos, estudar e aperfeiçoar a tecnologia de produção de óleo e gás a partir do xisto (folhelho pirobetuminoso).

Galeria de fotos relacionadas à este momento